ABA ENGLISH, o único aplicativo onde se aprende inglês através de filmes

Capturando a computação, a matemática e a estatística com Pokémon GO

Como construir empresas eficientes?

Confira os cursos do Maxi Educa

sábado, 10 de setembro de 2016

Posted by DIRETO DA REDAÇÃO On 19:01
Pedro Henrique de Melo
(professor, jornalista, produtor cultural)
Especial para o JIC

Assisti ao filme e estou em êxtase. Primeiro porque o filme é do Recife, é de Pernambuco, e porque ele transpira poiesis...
A trilha sonora deste filme fica ecoando no nosso âmago e nos conduzem a uma nostalgia sem precedentes, a gente perde a noção entre o que é pretérito, presente e futuro, “hoje... cravo em meu corpo as marcas do meu tempo... hoje...” (...).  Simplesmente não conseguimos nos levantar da cadeira, o filme nos aprisiona cheios de sensações sinestésicas.
Adentra as entranhas da alma pernambucana e traz à tona os contrastes entre os Sobrados e Mocambos, assim como os ranços que entrelaçam a Casa Grande e a Senzala. Além de jogar água no rosto dos Donos do Poder, molhando o estamento burocrático..., sem esquecer de nos mostrar as Raízes do Brasil.
E mesmo que o status quo queira esconder, o filme derrama o pus, sem contaminar a água doce que nos inebria diante de tanta delicadeza que arrebata nossos olhos, a tal ponto do coração gritar: EU AMO MEU RECIFE, mesmo ele sendo tão desigual.
A rigor, o enredo da história conta a vida de Clara, uma jornalista musical aposentada, moradora do Edifício Aquarius, onde todos os outros já venderam os apartamentos, e uma construtora quer, DESESPERADAMENTE, derrubá-lo para construir um arranha-céu, mas Clara resisti. Por que venderia um apartamento grande e de frente para a beira-mar de Boa Viagem?
O melhor é o refinamento da personagem Clara interpretada por Sônia Braga. Ela é tão culta e aprazível que suas rugas não incomodam, muito pelo contrário, transpiram beleza...
Aquarius é um libelo da resistência, porque luta em prol dos princípios mais puros que norteiam a vida: preservar as memórias afetivas diante de tantos amores líquidos!
Outra singeleza marcante é quando toca na vitrola o poema O vento, declamado por Vinicius de Moraes e cantado pelo MPB4!!! Ufa!!! Não tem como conter as lágrimas: É BELO!
Enfim, Aquarius é repleto de sutilezas que tocam a alma e nos obrigam a entrar em um aquário do qual não queremos sair: assistam sem pudor.
Adorei e quero assistir novamente! Mas para quem está acostumado aos estrondos cinematográficos não irá gostar deste, pois ele fala em silêncio, sussurra em nossos ouvidos gemidos de plena satisfação!  
Posted by DIRETO DA REDAÇÃO On 14:53
Segue até 15 de outubro a sétima edição do Maior Feirão do Mundo. O evento, que acontece alternadamente nos shoppings Riomar e Boa Vista, traz mais de cinco mil unidades de 12 construtora com preços que vão de R$ 50 mil a R$ 4,5 milhões, entre loteamentos, lançamentos, em construção e prontos para morar. Entretanto, os apressadinhos podem conferir a partir de hoje a versão soft opening, com condições especiais.

A novidade desta edição são os super descontos: há construtoras que estão com até 30% de bônus no valor das unidades. “A Queiroz Galvão e a Moura Dubeux, por exemplo, criaram planos e condições especiais para evento”, contou Fábio Gueiros, sócio da Central de Vendas, realizadora do Maior Feirão do Mundo. Além disso, o comprador que fechar negócio no Feirão terá condições especiais nos móveis planejados da SCA e projetos de revestimentos da Pleno Revestimentos.

“Nós sempre temos novidades. O Maior Feirao do Mundo acontece agora num momento em que as vendas entram nos trilhos da normalidade com ampla quantidade de clientes aproveitando o momento em que ainda conseguem obter descontos importantes”, avaliou Fábio.

Outro diferencial desse ano é o grande volume de unidades prontas: 50% no total. “Temos 10% de lançamentos e 40% em obras. Ou seja, quem não pode esperar, vai poder contar com imóveis prontos com preços bem mais acessíveis. Temos imóveis com parcelas a partir de R$ 399,00, como os Jardins da Roseira, da ACLF/SBM, em Paulista”, avaliou Jackson Rodrigues, diretor comercial da Central de Vendas.  “Sem esquecer as opções que se enquadram no Minha Casa Minha Vida, a partir de R$ 161 mil e subsídio do programa do governo de até R$ 20 mil.”

O Maior Feirão do Mundo acontece de 9 a 25 de setembro no piso L1, Praça 2 do Shopping Riomar, com imóveis de até R$ 4,5 milhões;  e de 28 de setembro a 15 de outubro no térreo do Shopping Boa Vista, com opções até R$ 350 mil. Participam desta edição do evento as incorporadoras Dallas, LMA, Moura Dubeux, Pernambuco Construtora, Queiroz Galvão, Rio Ave, ACLF, SBM, Vale do Ave, Boa Vista, Moderno, Viga Mestre, além de correspondentes bancários com acompanhamento jurídico.

ANTECIPADO – Os apressadinhos que não quiserem esperar até o dia 9 para conhecer os imóveis e as novidades do Maior Feirão do Mundo, poderão aproveitar a versão soft opening do evento, no shopping Riomar, até quinta-feira (8). Na ocasião, a Pernambuco Construtora está com o zera estoque, com condições inéditas.

SOBRE A CENTRAL DE VENDAS -  Central de Vendas foi fundada há seis anos unindo visão estratégica e conhecimento, através de profissionais que trazem na bagagem mais de 20 anos de atuação no mercado imobiliário e já comercializou mais de 8 mil unidades, de todos os padrões.
Posted by DIRETO DA REDAÇÃO On 14:51
Na sexta-feira (09), 50 alunos da rede municipal de ensino realizaram exames oftalmológicos gratuitos. O atendimento ocorreu no Centro de Visão de Pernambuco (Cevipe), que fica no prédio da Faculdade Joaquim Nabuco, área central do Paulista, na Região Metropolitana do Recife.
Participaram dos exames alunos de cinco escolas municipais que já passaram pelo processo de triagem feita pelos agentes de saúde escolar. O próximo passo será a entrega dos óculos.

O Programa é uma parceria entre as Secretarias de Educação e Saúde do Paulista e o Laboratório Farmacêutico do Estado de Pernambuco (Lafepe). A iniciativa contempla estudantes na faixa etária de 6 a 12 anos matriculados na rede municipal. O projeto vem oferecendo exames oftalmológicos e óculos de forma gratuita, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida, aprendizagem dos alunos e contribuir para a redução das taxas de repetência e evasão escolar. 
Posted by DIRETO DA REDAÇÃO On 14:49
Por Christiane Huggins

Faltando menos de um mês para as eleições municipais de 2016, as campanhas estão com duração reduzida à metade e os gastos também estão restritos. As novas regras estão agradando os eleitores, alguns irão votar no primeiro turno marcado para o dia 02 de outubro. As cidades estão mais limpas e sem a poluição visual, na percepção do advogado, Emílio Duarte (Justiça Eleitoral)“As novas regras da mudança eleitoral, em sua maioria, estão sendo respeitadas, porém existem vários casos com a falta de informações, mas o resultado é que as eleições tomaram uma outra forma e dimensão, como todos já observam e aplaudem”, acrescenta o advogado.

A chamada Reforma Eleitoral de 2015 alterou, de uma só vez, as leis das Eleições (número 9.504/1997), dos partidos políticos (9.096/1995) e o Código Eleitoral (4.737/1965), tendo como pontos principais, a redução dos custos das campanhas eleitorais, a simplificação da administração das agremiações partidárias e o incentivo à participação feminina na política. O guia de Rádio e TV estão com as campanhas mais pé no chão e com poucos recursos. “Os programas longos já não atendiam a expectativa dos eleitores, agora os blocos são dois de dez minutos apenas para os candidatos aos cargos majoritários sem vereadores, que aparecem nas chamadas inserções ao longo da programação.Tudo isso , favorece quem não tem acesso ao dinheiro  e com o oportunidade de fazer uma campanha política,” lembra Emílio Duarte.

Ainda segundo o advogado com expertise em justiça eleitoral, o momento atual do país não favorece e não estimula a população a tratar do tema das eleições, o eleitorado está até satisfeito com a " quase" campanha, ou seja, quase que não são observadas movimentações de campanha como estávamos acostumados.
Posted by DIRETO DA REDAÇÃO On 14:48
*Oliver Schulze 

Oliver dirige o Painel de Segurança Veicular do Congresso SAE BRASIL 2016  
Durante as olimpíadas, atletas e turistas estrangeiros tinham duas preocupações maiores com relação à segurança no Brasil: o zika vírus e o alto índice de criminalidade no Rio de Janeiro. Do zika vírus eles procuraram se proteger usando repelentes. Para escapar da bandidagem, evitaram visitar locais pouco recomendados.

Infelizmente nosso País é conhecido no exterior pelo alto índice de criminalidade, e não sem razão. Segundo o Ministério da Saúde, apenas em 2014 o número de homicídios registrados no Brasil foi de 59.627 ocorrências. Nesse mesmo ano, a Organização Mundial da Saúde classificou o País com o maior número de homicídios em todo o mundo.

O que poucos sabem é que no mesmo período quase a mesma quantidade de pessoas morreram, vítimas de acidentes de trânsito. Quem de nós não conhece ou sabe de alguém que faleceu ou ficou gravemente ferido por esse motivo? Nessa estatística perdemos apenas para Índia (142 mil) e China (58mil), ficando em terceiro lugar no ranking mundial com 50 mil vítimas fatais por ano.

Na madrugada do dia 12 de agosto, no Rio de Janeiro, um táxi modelo Cobalt 2012 levava dois atletas da equipe alemã de canoagem à Vila Olímpica e colidiu com outro veículo na Avenida das Américas, uma via larga de várias pistas, plana e reta. Bateu em uma barreira de concreto logo depois.

No acidente, Stefan Henze, técnico e medalhista olímpico perdeu sua vida. Foi mais uma vítima da nossa cruel realidade. Ele que provavelmente deve ter tomado precauções contra o mosquito da zika e também evitado locais de alta criminalidade, não imaginava que isso poderia ocorrer.

Talvez porque em seu país o número de vítimas fatais em acidentes de trânsito seja algo em torno 3.400 por ano, apesar de o mercado de carros novos na Alemanha ser maior do que o nosso. Ou até porque os táxis naquele país tenham em média dois anos de uso e diversos equipamentos de segurança.

Será que precisamos continuar convivendo com esta triste realidade? Será que vamos continuar nos conformando com a perda de 167 brasileiros por dia e permanecendo de olhos fechados?

Podemos mudar as nossas estatísticas com ações de melhoria da infraestrutura viária, educação no trânsito, inspeção veicular efetiva, pesquisa e investigação de acidentes para o direcionamento adequado dos recursos financeiros destinados à redução de ocorrências, e controle dos abusos no trânsito, entre outras.

Reduzir a incidência de mortes no trânsito brasileiro por meio da informação colhida no local do acidente é o objetivo do projeto Investigação Avançada de Acidentes de Trânsito (IAAT), que será apresentado pela primeira vez no 25º Congresso e Mostra Internacionais SAE BRASIL de Tecnologia da Mobilidade (25 a 27 de outubro, Expo Center Norte-SP) no Painel Segurança Veicular, que será realizado no dia 25 de outubro, 13h30, no Auditório SAE BRASIL.

Criado pela Comissão Técnica de Segurança Veicular da SAE BRASIL e com projeto piloto desenvolvido em cooperação com a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC), o projeto IAAT se baseia em metodologias internacionais de pesquisa, investigação e coleta de dados no local do acidente logo após a ocorrência.

Desde março o piloto está em operação em Campinas (SP), onde já foram coletados dados de 54 acidentes na região urbana central da cidade. Destes, 56% tiveram o envolvimento de motocicletas. Como os motociclistas se encontram em uma posição muito mais vulnerável a ferimentos no caso de acidente, faz-se necessária a priorização junto a eles de ações relativas à direção defensiva e uso de equipamentos de segurança para proteção da vida.

Vamos  fazer a nossa parte. Se cada um de nós mantiver o veículo em plenas condições de circulação, dirigir com civilidade e respeito às leis e aos outros, contribuiremos para um trânsito melhor.




Posted by DIRETO DA REDAÇÃO On 14:47

Autores interessados na publicação de seus textos na InFor – Inovação e Formação – Revista do Núcleo de Educação a Distância da Unesp devem enviar o material para avaliação até o dia 15 de outubro


Está aberta a chamada para a submissão de artigos científicos e textos para o segundo número da InFor – Inovação e Formação – Revista do Núcleo de Educação a Distância (NEaD)  da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Os autores interessados devem acessar a revista pela Internet, criar um cadastro e enviar o material para avaliação até o dia 15 de outubro de 2016.

        A publicação semestral tem o objetivo de realizar a divulgação acadêmico-científica de pesquisas e trabalhos relacionados aos temas Tecnologia, Inovação, Inclusão e Formação. Entre os assuntos abordados no primeiro volume, estão os direitos da pessoa com deficiência à educação inclusiva, especialização para docentes em educação tecnológica, produção de materiais didáticos digitais audiodescritos, experiências de tutoria e ação pedagógica na educação a distância, inclusão social e digital na educação de jovens e adultos e aprendizagem significativa na perspectiva da educação inclusiva. 

        São aceitos artigos científicos originais e inéditos (preferencialmente não avaliados para publicação por outra revista), bem como textos de elevada qualidade apresentados em eventos reconhecidos, em português, inglês e espanhol. Podem ser publicados anais de eventos relacionados à temática citada. A página destinada às submissões online  contém as diretrizes para autores, condições para submissão, informações sobre direitos autorais e a política de privacidade. Os artigos serão avaliados por pareceristas colaboradores da InFor, especialistas nas áreas de conhecimento dos temas abordados. 

    Todos os textos publicados são disponibilizados para acesso pela web ou para download, sob licença Creative Commons (CC BY-NC-ND 4.0), que permite a cópia e redistribuição, desde que sejam dados os devidos créditos, não haja remixagem ou transformação do material e não ocorra uso para fins comerciais. Seguindo o propósito do NEaD/Unesp de incentivar e expandir a educação inclusiva, os artigos completos e seus resumos são acompanhados de áudios, o que os torna acessíveis para pessoas com deficiência visual. 

       Em julho deste ano, o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia concedeu ao periódico o código ISSN - International Standard Serial Number (ISSN 2525-3476), garantindo aos autores o fiel registro da publicação em seus currículos na Plataforma Lattes, além de comprovação de desempenho acadêmico.
Posted by DIRETO DA REDAÇÃO On 14:46

Por Alfredo Pinto, sócio da Bain & Company  

No atual cenário de recessão econômica, é natural que empresas visualizem na eficiência operacional a melhor maneira de garantir a própria sobrevivência: “ganhos de sinergia”, “corte de custos” e “reestruturação de áreas” são estratégias comuns a muitas companhias e ganham os noticiários quase diariamente. Com isso, uma conclusão óbvia seria a de que adotar essas ações dentro de qualquer empresa em tempos difíceis traria como consequência maiores margens de lucro e, consequentemente, ajudaria a reforçar a presença de qualquer companhia no mercado nacional.
Pois bem, uma pesquisa conduzida recentemente pela Bain & Company mostra que essa estratégia está totalmente errada: realizar mudanças de caráter emergencial para socorrer companhias não tem efetividade na grande maioria delas. Em 60% dos casos analisados pela consultoria (que tinham como meta reduções de 10% nos custos) os resultados não foram alcançados e, além disso, os planos de emergência tornaram ainda mais difícil a realização de esforços futuros. A partir dessa constatação, fica a pergunta: “Como é possível gerar eficiência dentro das organizações, ainda mais em tempos de crise?”

A resposta cabe em uma linha, mas sua aplicação real demanda esforço que supera uma década:adotando uma visão de longo prazo com eficiência contínua. Isso é possível quando as empresas incorporam a eficiência à sua filosofia de “quem nós somos”, deixando de pensar nela como um projeto isolado, apresentado frequentemente com o mote “olhe o que nós fizemos”.
Atingir esse patamar certamente não é um processo fácil, e o sucesso de uma estratégia de longo prazo está condicionado a outras quatro dimensões dentro da empresa. A primeira delas é o comportamento, que diz respeito à construção de planos pragmáticos para reforçar as escolhas corretas realizadas dentro da companhia. Nesse sentido, mais do que construí-los, é necessário mantê-los por meio de treinamentos contínuos na empresa, além do acompanhamento dessa evolução por parte das lideranças, ao longo do tempo.
Esse já é um grande primeiro passo a ser dado pelas companhias, mas a consultoria indica que não basta somente reforçar as atitudes positivas na ponta da cadeia de produção: todos os colaboradores têm de passar a percepção de que estão comprometidos com os comportamentos positivos para a empresa e de que estão alinhados com os propósitos a ser atingidos por ela. Assim, o comprometimento é o segundo aspecto mais importante para qualquer empresa avançar, e só é possível quando vem desde o CEO e membros da gerência, uma vez que esses profissionais desenvolvem um modelo de talentos – são capazes de contratar pessoas com as habilidades corretas para a empresa e, também, podem promover membros de equipes que entregam resultados.
Como consequência da união entre bons comportamentos e comprometimento alto, vem a mudança de cultura. A importância desse aspecto está centrada no fato de que uma cultura que encoraja a inovação e o arrojo frente a riscos pode ajudar a espalhar uma mentalidade de eficiência por toda a organização.
Depois de começar a colocar em prática todas essas mudanças, é natural (e necessário) que os executivos queiram mapear suas companhias para saber se estão trilhando o caminho certo ou se desviando das novas propostas. Nesse sentido, entra o quarto elemento enunciado pela Bain & Company: as métricas. A consultoria explica que não é necessário elaborar métodos complexos de mensuração para averiguar para onde a empresa está indo, muito pelo contrário: poucas, básicas e simples atitudes devem permear a organização nesse sentido. Para ter uma ideia, o exemplo citado pela consultoria é o de realizar feedbacks periódicos – uma vez que reconhecer pessoas ou equipes que fazem a diferença ajuda a encorajar a mudança e reforçar o comprometimento, tornando esse círculo perene dentro da organização.
Por fim, vale destacar que a mudança dentro de qualquer empresa é fundamentalmente disruptiva, mas os riscos envolvidos em mudar comportamentos organizacionais são previsíveis e gerenciáveis. Assim, equipes de liderança devem ser ágeis e estar preparadas para identificar os riscos mais críticos ao longo do processo e os endereçar de antemão, ajudando as pessoas a ter sucesso e construindo uma empresa saudável – nos lucros e nas relações de trabalho.

Sobre a Bain & Company, Inc.
A Bain & Company, empresa líder global em consultoria de negócios, orienta clientes em relação a estratégias, operações, tecnologia, constituição de empresas, fusões e aquisições, desenvolvendo práticas que assegurem aos clientes transparência nos processos de mudança e tomada de decisões. A Consultoria trabalha em sinergia com os clientes, vinculando seu fee aos resultados. O desempenho dos clientes da Bain superou o mercado de ações em 4 para 1. Fundada em 1973, em Boston, a Bain conta com 53 escritórios em 34 países e já trabalhou com mais de 4.900 empresas entre multinacionais e companhias privadas e públicas em todos os setores da economia. Para mais informações, acesse: www.bain.com.br. Twitter: @BainAlerts.